Jogral

Standard

1

As obras:

 

plásticas

poéticas

cinemáticas

resistentes

 

o grupo.

 

2

 

O jogral acontecia na origem

no local.

 

Depois do exposto

desanúvio.

 

Sem nuvens

o ambiente fez-se

 líquido e luz.

 

Em expansão

propagou-se além

invadiu as salas sacras

dissipou as moscas

 

atravessou o ódio

de quem não estava disposto a ouvir

 

limpou o espaço putrefato.

 

Ao longe

como um titã cambaleando

o discurso único

diante dos quadros

das palavras

reiterou sua referência vazia.

 

Afônico e vencido

voltou-se aos tempos de reverberação

à sua sede sombria:

escondeu seu fascismo.

 

Sem forma

fez-se masmorra

e encerrou-se em seu templo

de marfim desinformado.

 

3

 

Cansados

sem silêncios

sem misticismo

caminhamos.

Hiato

Standard

.

.

I

verso silencioso
……..silenciado

bicho acuado no beco

cego de tanto olhar
mudo de tanto ouvir

sentinela atrofiada da história

.

II

pela janela

metrópole órfã de estrelas
(esses fantasmas
cicatrizes da origem de tudo)

metrópole engolidora
de gentes e gestos

.

metrópole de ruídos
silêncios interrompidos

.

III

luz dourada
no escuro
da madrugada

gargalha nas fuças do verso

.

IV

entre a gipsita
e o cassetete

o verso escrito errado
em linhas certas

.

V

entre tarefas e tarifas
afazeres berros e murros
agendas prazeres e prazos

presente passado e futuro
alinhavam tempo e espaço

o verso escalpelado

.

VI

arsenal de possibilidades
tomado de assalto
à luz do dia

o presente
perde espaço
pro passado

.

(que não se passa a limpo)

.

VII

favo e favor
o verso traduz trabalho

flavor de existência diário

e o cu com isto?

.

VIII

a caderneta
o lápis
o lapso

uma gargalhada
uma golada de café amargo

que a vida já é doce
e levar-se a sério já é demais

.

.

Diálogo silencioso

Standard

.

para Amanda Iargas e Fernando Scaff

.

I

As imagens silenciaram
as palavras.

.

Os poemas não saem.
As notícias são incompletas.
Os relatórios inconclusivos.

.

As imagens sintetizam
(escondem?)
o que as palavras diriam?

.

A fotografia calou os olhos
e as mãos.

.

A imagem não contava

.

.

II

Palavras imagens e poeta
engasgaram-se
.

………COF!

…..COF!

..COF!

.

regurgitam
paus-de-arara chicotes cadeiras-do-dragão
donzelas-de-ferro garrotes torniquetes
arames alicates serras eletrodos
e um crucifixo

………COF!

…..COF!

..COF!

.

lacrimejam arrochos salariais
endividamentos públicos
sucateamento de escolas
concentrações fundiárias

.

..COF!

…..COF!

………COF!

.

.

III

Os olhos se desviaram das sombras
do rapaz de costas e mãos presas
fixaram-se na fita
……………………Vermelha

.

Desatam-se ossos
Sangram chagas abertas
Desmoronam corpos no mar
Retorcem-se músculos eletrocutados

.

O silêncio é um espectro de signos.

.

.

Notícias de última hora

Standard

.

.

I

Esta semana foi divulgado

.

Cientistas japoneses produziram
a primeira banana transgênica

.

Banana Noku

.

Japão pretende exportá-la em larga escala.

.

.

II

esta semana no zoológico de são Paulo
onde se formara o vereador paulistano Cacareco

.

micos gorilas bugios chimpanzés e babuínos
protestaram contra apresentador de TV

.

animais negam ter a mesma raiz evolutiva
dos salgados fritos de batata recheados de frango

— Somos macacos e não mercadoria
acrescentaram os primatas indignados

.

.

Famigerado

Standard

Famigerado
ou
as ações ardilosas de Lúcifer

.

nada desceu pela goela
do pó de vidro ao leite em pó

.

nem pedra nem moela

.

o arame farpado enroscou-se na farinha da faringe

 .

Lúcifer ofereceu-lhe uma banana
de blindagem amarela

.

despida a musa
mordeu mastigou deglutiu

.

os olhos choveram gratos
juntos tiraram uma fotografia

.

Lúcifer divulgou nas redes sociopatas
criou grife com seu designer gráfico
e garfou uns tostões por aí

.

.